Um caminho que já começou

Hoje, mais uma vez, ouço e vejo famílias de pessoas com doença mental que clamam por ajuda.

Hoje, mais uma vez, a associação FamiliarMente deu-lhes voz.

Hoje, mais uma vez, foram convidados políticos e coordenadores nacionais, que falaram de estruturas na comunidade na área da saúde mental.

Hoje, mais uma vez, pensei: é desta que me atiro de cabeça no projeto que já sonho há mais de 6 anos.

É hoje que, finalmente, redijo o meu pedido:

Posso contar convosco para ter uma sala nas vossas instalações, destinada a pessoas que tenham doença mental?

Não penso em projeto megalómanos, penso em coisas operacionais dentro de 2 meses. Não penso para já candidatar-me a fundos europeus, senão bem que posso esperar mais 6 anos…

Para uma resposta mais imediata penso num fórum sócio-ocupacional. Gostava que as pessoas com doença mental não se isolassem e que soubessem que para elas há um espaço onde podem ir duas vezes por semana, que lhes é dedicado por excelência e onde são tratadas como pessoas, valorizando as suas potencialidades.

Quero finalmente dar um passo – e que seja firme – num projeto em que acredito: a reabilitação psicossocial da pessoa com doença mental.

Sei que é pouco o que (para já) pretendo oferecer, mas é um passo firme de um caminho que já começou.

Diana Costa e Lénea Coelho
Diana Costa e Lénea Coelho
Diana Costa: enfermeira de cuidados gerais Lénea Coelho: enfermeira especialista em saúde mental e psiquiatria
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...

Editorial Rede 25

Quando os 72 discípulos foram enviados por Jesus, aos pares, sem mais nada senão a roupa que traziam vestida, as sandálias e,

Editorial Rede 24

Já é um lugar comum dizer que temos Fátima aqui tão perto e não lhe damos o valor devido. É daqueles casos

29 de Junho — 9h30 > 18h00
Aula Magna do Seminário Diocesano de Leiria