Semana Nacional Cáritas: peditório ajuda a responder a situações de fragilidade

Semana Nacional Cáritas: peditório ajuda a responder a situações de fragilidade


A Semana Nacional Cáritas, que este ano se assinala de 8 a 15 de março, é uma semana durante a qual se procura evidenciar a ação da Cáritas no combate à pobreza e exclusão social. Em todo o país, multiplicam-se atividades de reflexão sobre a ação social, atividades de animação pastoral e também iniciativas de angariação de fundos, particularmente o Peditório Público Nacional onde participam anualmente cerca de 4 mil voluntários apelando ao contributo de todos os portugueses como forma de expressarem a sua solidariedade com todos os que atravessam um momento de vulnerabilidade e, por isso, procuram a ajuda da Cáritas. 

Em 2020 o tema nacional é: “Cáritas é amor”. Procura-se, assim, evidenciar o cuidado ao Outro, seja ele quem for, como um gesto de Amor que se repete diariamente e que assume diferentes formas. Um amor que tem a Pessoa no centro da sua ação, que junta, fortalece, e que dá a cada um o poder para ultrapassar barreiras. Este Amor é o “hoje” de todos os dias. 

Durante esta Semana as 20 Cáritas diocesana que compõem a rede nacional promoveram momentos de envolvimento público e de animação local. 

A nível nacional o destaque é, naturalmente, para o Peditório Público, entre os dias 12 e 15 de março. Este é um momento que a Cáritas privilegia não apenas pela sua dimensão de angariação de verbas, que se destinam à ação local de todas as Cáritas diocesanas, mas por ser uma oportunidade de contacto direto com a população, com aqueles que apoiam a missão da Cáritas. Nas ruas, superfícies comerciais e nas comunidades paroquiais os voluntários da Cáritas lembra, que “contribuir é um gesto de amor”. Também nas celebrações dominicais o ofertório está consignado à Cáritas das respetivas dioceses.

No ano de 2019 a rede nacional Cáritas registou o atendimento a perto de 100 mil pessoas atendidas num trabalho que é feito diariamente com um conjunto de profissionais nas mais variadas áreas, mas, também, com o apoio de muitos voluntários e das comunidades locais. 

Apesar das muitas fragilidades que se vivem hoje na sociedade Portuguesa a Cáritas não pode deixar de ter um olhar de esperança e um sentimento de realização face ao trabalho que é desenvolvido durante todo o ano. São muitos os que, felizmente, recuperaram a sua esperança, a sua autonomia e que são exemplo e testemunho de que é possível um mundo melhor.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...