Semana Cáritas é apelo à solidariedade “concreta”

Semana Cáritas é apelo à solidariedade “concreta”

“Uma só família humana, cuidar da casa comum” é o tema que marca a Semana Nacional da Cáritas em Portugal, que decorre até dia 4 de março. Para além de um conjunto de ações locais, a Cáritas apela à participação de todos os portugueses no Peditório Público Nacional.

Luís Miguel Ferraz

 

“A participação pública é de extrema importância para a Cáritas de Leiria-Fátima, uma vez que as verbas obtidas revertem a favor dos diferentes projetos sociais concretizados”, refere o presidente desta instituição diocesana, Júlio Martins.

Esta ação envolve anualmente mais de duas centenas de voluntários, que apelam à generosidade e à partilha de todos, em favor dos mais necessitados que diariamente recorrerem aos serviços da Cáritas Diocesana. É, portanto, uma ajuda dirigida, com rostos de proximidade, concreta.

Na área da Diocese, este peditório público decorre nos centros urbanos maiores e em paróquias que colaboram regulamente na iniciativa, como é o caso de Batalha, Bidoeira, Calvaria, Fátima, Leiria, Maceira, Marinha Grande, Minde, Mira de Aire, Monte Redondo, Ourém, Pataias, Pedreiras, Porto de Mós e Vieira de Leiria.

Os voluntários poderão estar junto a superfícies comerciais, à saída das igrejas e mesmo pelas ruas, sempre devidamente identificados.

Recordamos que também os peditórios nas Missas deste domingo, dia 4 de março, revertem para esta causa.

 

Números apresentados

2018-03-01 caritas2

No passado dia 25 de fevereiro, no Seminário de Leiria, cerca de meia centena de pessoas participaram no “Encontro da Família Cáritas”, iniciativa que anualmente marca o início da Semana Cáritas na Diocese, promovendo a formação e o convívio entre os que mais diretamente se relacionam com a instituição.

Esta ocasião é, também, aproveitada para o balanço e a apresentação de contas do ano anterior. Foi, assim, revelado que o peditório anual de 2017 rendeu um total de 14.568,78 euros, sendo essa a principal verba de financiamento. Iniciativas como a Feira Solidária (2.362,40 euros), donativos para a Colónia de Férias (2.030 euros) e a campanha de Natal (4.545,27 euros) ajudam a compor o volume de receitas.

Quanto aos serviços prestados, a Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima realizou, no ano passado, um total de 1272 atendimentos socias, tendo sido beneficiadas 405 famílias, num total de 1.052 pessoas. Esta ajuda ascendeu a 10.532,57 euros de apoios diretos e, ainda, alguns empréstimos concedidos a pessoas em carência urgente e temporária.

Além disso, foi apoiado com 6.857,26 euros o Centro de Acolhimento aos Sem-Abrigo de Leiria, foram canalizados 2.334,36 euros para a ação local dos grupos sócio-caritativos das paróquias e enviada uma verba de 10.000 euros para as vítimas dos incêndios do Pedrógão Grande, em solidariedade com a Cáritas de Coimbra.

Quanto ao vestuário, através do espaço da Loja Solidária, a Cáritas respondeu, de forma direta, a 191 famílias, num toral de 491 pessoas abrangidas.

 

Apoio educacional e psicológico

Mas nem só de apoio financeiro se faz o trabalho da Cáritas Diocesana. O recém-criado Gabinete de Psicologia atendeu 11 pessoas, desde abril de 2017, em cerca de meia centena de sessões.

Na área da educação, destaca-se o projeto “Explica-me”, promovido pelo grupo Cáritas Jovem, com 21 crianças e adolescentes carenciados a receberem apoio ao estudo com a colaboração de duas dezenas de explicadores voluntários. Sublinha-se o facto de 19 desses alunos terem transitado de ano, o que revela o sucesso do projeto.

Este grupo de jovens promove, ainda, outras iniciativas, como conferências, ações de formação e campos de férias. A própria Cáritas faz também trabalho formativo, descentralizando algumas dessas ações nas paróquias, de modo a potenciar o acompanhamento local dos casos de necessidade.

A Colónia Balnear, uma das facetas mais visíveis da Cáritas, na Praia do Pedrógão, recebeu, em 2017, um total de 277crianças e adolescentes, com o apoio de 56 jovens monitores. A campanha de apadrinhamento juntou 37 pessoas e entidades solidárias, tendo permitido a oferta de férias a 56 crianças e adolescentes sem quaisquer recursos para poderem usufruir desta possibilidade.

 

Presidente apela à ajuda

2018-03-01 caritas1

Júlio Martins é presidente da direção da Cáritas Diocesana desde janeiro de 2010. Em jeito de balanço, referiu em entrevista ao jornal Presente, que “foi notório um aumento dos pedidos de ajuda a partir do ano de 2012, em que começaram a sentir-se os efeitos da crise, tendo diminuído um pouco já em 2015 e estabilizado nestes dois últimos anos”. O que as pessoas mais procuram é “o apoio para poderem pagar os serviços básicos, como alimentação, medicamentos, água, luz, gás e rendas de casa”, refere este responsável, indicando “o desemprego, a falta de capacidade de autogestão e a crescente desestruturação das famílias” como causas mais evidentes para os problemas sociais atuais.

Na distribuição de alimentos, a Cáritas presta um serviço de mediação com os programas nacionais e europeus dirigidos pela Segurança Social, “mas essa é uma ajuda insuficiente, pois há famílias que não estão registadas no sistema, pelo que a Cáritas usa fundos próprios para suprir todas as carências que identifica”.

A roupa é dos bens que mais chegam à instituição e “tem muita procura”, mas “recebemos toda a que queiram enviar-nos, mesmo a que não esteja nas melhores condições, pois temos um protocolo com uma empresa de reciclagem que paga alguma coisa por ela”, refere Júlio Martins, indicando a preocupação ambiental que este serviço também representa.

É de ambiente, precisamente, que trata o tema da Semana Cáritas deste ano. A Cáritas de Leiria-Fátima não tem uma ação ambiental direta, mas promove diversas iniciativas que têm como objetivo a redução da “pegada” ecológica. É o caso da reciclagem de roupa, mas também os programas de formação regular sobre o uso inteligente de recursos como a luz, a água e mesmo os bens alimentares e de uso diário. Isto, além da parceria em campanhas ocasionais específicas, como é o caso dos programas de realojamento e reflorestação da Cáritas de Coimbra para com as vítimas dos incêndios do verão passado.

O trabalho, esse, é diário, regular e permanente. A Cáritas de Leiria-Fátima tem apenas 5 pessoas assalariadas em permanência, mas conta com o voluntariado de dezenas de jovens e adultos. O apelo final do presidente é mesmo esse: “que todos possam colaborar com este serviço da Diocese aos mais carenciados, seja com o seu donativo neste peditório ou noutras ocasiões, seja pela oferta da sua disponibilidade e serviço nas diversas iniciativas ao longo do ano”.

 

Comunicado

Cáritas Portuguesa

2018-03-01 caritas3

No primeiro semestre de 2017, a rede nacional Cáritas respondeu a mais de 68 mil pessoas. Apesar de na sociedade portuguesa existirem sinais de melhoria das condições de vida, vemos que as famílias que chegam à Cáritas têm problemas sociais mais graves, em particular em matéria de trabalho e sobre-endividamento, seja por terem recursos insuficientes para fazer face às suas despesas correntes, seja por terem piores condições laborais.

A resposta às situações de emergência é missão da Cáritas. Em junho e outubro de 2017 estivemos com as vítimas dos incêndios prestando apoio direto à população. As duas campanhas de recolha de fundos realizadas angariaram cerca de 2 milhões e 100 mil euros. Perto de metade destes recursos adveio dos ofertórios das comunidades cristãs decido pelos Bispos portugueses. Com esta verba foi assumida a construção de 51 habitações em Coimbra e Portalegre-Castelo Branco (28 concluídas e as restantes em curso), apoiámos produtores de animais em Viseu e Guarda e muitas famílias nos complementos dos seus meios de vida. O trabalho foi feito em rede com as Cáritas diocesanas, as comunidades paroquiais, as autoridades públicas nacionais e locais, e inúmeros parceiros.

A Cáritas em Portugal é composta por mais de 1400 colaboradores profissionais, 100 dirigentes e conta com a colaboração regular de cerca de 250 voluntários e mais de 4 mil voluntários ocasionais.

No ano de 2017 o Peditório Público angariou um total de 194.510,41 euros que foram aplicados nos diferentes projetos diocesanos de apoio à população fragilizada.

A Semana Nacional Cáritas encerra no próximo dia 4 de março, na Sé de Santarém, onde D. José Traquina, Presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, irá presidir à celebração eucarística, com transmissão pela TVI, às 11:00.

A partir desta semana, a rede nacional Cáritas terá disponível uma nova imagem para o seu novo site em www.caritas.pt.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

29 de Junho — 9h30 > 18h00
Aula Magna do Seminário Diocesano de Leiria