Editorial Rede 2

Ainda é cedo para fazer uma avaliação do número 1 da REDE. Ainda agora começámos, pelo que será prematuro tirar conclusões que, a serem feitas neste momento, serão certamente precipitadas. A floresta não está à vista. Só plantámos uma árvore, vamos aguardar que cresça.

Por agora, é tempo de saborear o orgulho de começar a construir um projecto que começa a sentir-se da Diocese, que ainda cria reservas sobre a sua validade e encontra algumas resistências cristalizadas pelos hábitos, pelos gostos e pelos afetos. Continuaremos a plantar as árvores e a cuidar delas para que cresçam. Esta é a segunda e vai fazer companhia à primogénita.

Noutras redes, as sociais, encontrámos uma impressão de um dos nossos subscritores; dizia que

gosto da formatação, apresentação e dos assuntos tratados na REDE Nº 1.

Houve vários a partilhar dessa impressão. Mas há sempre um “mas”, e ele estava logo a seguir:

parece-me um pouco extensa para ser lida com atenção.

Sim, é extensa, e isso é uma das mais-valias das novas tecnologias, em que o espaço não é impecilho e estende-se à medida dos abraços que vamos dando. Também disse que lamenta

que só um número limitado de pessoas possa ter acesso ao conteúdo da REDE, uma vez que apenas alguns têm conhecimentos e meios para tal; nos tempos atuais, ainda não é dispensável o suporte de papel.

Esta ferida levará o seu tempo a sarar, como as saudades de agarrar o papel do jornal, e sujar os dedos enquanto se folheia, e cheirar a tinta acabada de largar pelos rolos das rotativas. E mesmo aí, encontramos uma ou outra luz. Algures nesta REDE, uma paróquia — o Souto da Carpalhosa — quis começar a iluminar um possível caminho:

A Diocese optou por fundar uma revista digital e aproveitar a ocasião para reestruturar o serviço de comunicação. Com o nome de “Rede”, a revista pode ser consultada na internet, sendo enviada, gratuitamente, via e-mail, para todos aqueles que o desejarem. Não conhecendo o modo de o fazer, pode solicitá-lo ao pároco, sendo necessário apenas a indicação de e-mail. Não tem endereço de correio eletrónico? Pode também fazer-se, na paróquia, impressão em papel, pelo menos do essencial da Revista que, se mantiver a paginação do primeiro número, pode ter um custo semanal de cerca de 0,40€, um valor total, anual de cerca de 20,00 €. Havendo alguém que deseje “assinar” este método, deve comunicá-lo no cartório, procurando a revista em cada domingo.

O nº 2 da REDE pode ser descarregado aqui: http://bit.ly/rede002

Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...

Romaria

São 09:00 de domingo, vou de carro e cruzo-me com várias pessoas que vão a pé, algumas em grupo, outras sós. Vêm

Editorial Rede 28

Uma das qualidades mais interessantes da chamada Geração Z (nascida entre 1990 e 2010) é o seu gosto por viajar. Estes jovens