Paróquia da Caranguejeira festejou bodas de prata de sacerdócio do seu pároco

Paróquia da Caranguejeira festejou bodas de prata de sacerdócio do seu pároco

Padre Filipe Lopes foi ordenado em 1994

A comunidade paroquial da Caranguejeira festejou no passado dia 27 de julho o 25º aniversário de ordenação sacerdotal do seu atual pároco, o Pe Filipe Lopes. 

Com uma igreja paroquial repletam de fiéis e uma decoração a condizer com o momento, o pároco entrou solenemente no templo. A animar a celebração um grupo coral, constituído por elementos dos vários coros da paróquia e da filarmónica de São Cristóvão. Cinco sacerdotes naturais da Caranguejeira quiseram marcar presença concelebrando: o Pe Ramiro Galhispo, sacerdote salesiano, o Pe Frei Amador Carreira, o Pe Frei Manuel Marques, e o Pe Frei Artur Neves, sacerdotes franciscanos, e ainda o Pe João Mónico, sacerdote espiritano. Para além dos fiéis paroquianos, marcaram presença pessoas vindas das paróquias por onde passou o Pe Filipe Lopes.

Cumprir a vontade de Deus

Na homilia da eucaristia de ação de graças pelas bodas sacerdotais, o pároco começou por referir-se às palavras do Pe Frei Adelino, mais conhecido por «Caldinhas», salientando que hoje a paróquia cumpre aquele que era o desejo do Pe Adelino, “uma igreja onde todos participam. E por isso eu aqui sinto-me um membro da família”. Recordando o momento da sua entrada aqui, e o sim à vontade do bispo diocesano, o Pe Filipe Lopes sublinha que “até ao dia de hoje sinto que estou a cumprir a vontade de Deus.” Agradecendo a Deus e a Maria, não esqueceu os pais e familiares ali presentes, e a todos os amigos “que ao longo destes 25 anos colaboraram comigo”.

Comunidade ofereceu lembranças

No final da celebração, preparada pela equipa de pastoral familiar da paróquia, um dos membros desta equipa tomou a palavra e, em nome de todos os paroquianos, expressou palavras de agradecimento ao pároco pelo empenho, pela entrega enquanto pastor da comunidade paroquial caranguejeirense. Materializando as palavras em gestos, em nome da comunidade foi-lhe oferecida uma lembrança (um relógio e uma esferográfica) felicitando-o pelas bodas de prata sacerdotais. Também a Junta de Freguesia da vila, ali representada pelo seu presidente, Joaquim Mónico, quis apresentar felicitações oferecendo também uma lembrança, no caso, uma túnica.

Terminada a celebração, todos os presentes reuniram-se no salão paroquial para as habituais felicitações ao aniversariante, e para o jantar convívio partilhado.

Uma missão que começou no Santuário de Fátima

Ordenado a 24 de julho de 1994 na Sé de Leiria, o sacerdote natural da paróquia dos Milagres, passou por múltiplas paróquias e variadas funções até se tornar pároco da Caranguejeira. 

Como referiu na sua homilia, a sua missão sacerdotal começou logo após a sua ordenação, com o desempenho do múnus de capelão do Santuário de Fátima ao longo de um ano. Em 1995 é nomeado vigário paroquial dos Marrazes pelo bispo diocesano. Em 1998 é enviado para Albergaria dos Dozes, tornando-se pároco pela primeira vez. «Tenho as costas largas mas nada ou pouco consigo sozinho», foi o lema que ali adotou. “Lancei o desafio às pessoas que tinham que colaborar com o padre pois este não conseguia fazer tudo sozinho. Sentia-me como um filho, muito à vontade. Constantemente me convidavam para ir comer a suas casas”, conta o sacerdote.

Cinco anos mais tarde é-lhe atribuída a mesma função na paróquia de S. Simão de Litém, em acumulação. “Aqui adoptei o lema: «Usar o estilete para aperfeiçoar a obra feita». Sentia-me como um irmão, pelo facto de ter muitas gente da mesma idade a colaborar comigo”.

Em 2009, o bispo diocesano nomeia-o Administrador Paroquial de Ribeira do Fárrio, em acumulação com as outras duas paróquias. “Aqui sentia-me como um pai. As pessoas colaboravam e aceitavam tudo o que propunha. Estive ali pouco tempo”.

Em 2011/2012 ausenta-se do país para realizar o designado ‘Ano Sabático’ ao mesmo tempo que faz formação em Nova Evangelização, no Brasil. Em setembro de 2012 é nomeado pároco da Caranguejeira, missão que continua a desempenhar atuamente. “Aqui o meu lema foi/é: «Eu e minha casa decidimos servir o Senhor com alegria». Aqui sinto-me como um membro da família”. 

Em acumulação com a missão pastoral nas várias paróquias, o Pe Filipe Lopes foi presidente do Renovamento Carismático Católico durante 3 anos; Assistente do mesmo em outros tantos anos; vigário da Vigararia das Colmeias durante 7 anos; vigário da Vigararia dos Milagres desde 2015; foi delegado ao conselho presbiteral ao longo de 4 mandatos de 3 anos; membro do conselho pastoral diocesano em 2 mandatos de 3 anos. Em 2015 é-lhe atribuída por D. António Marto a função de Assistente Espiritual do Movimento da Mensagem de Fátima, e em 2018 de Membro do secretariado da Festa da Fé. 

Um agradecimento na primeira pessoa

Sábado, 27 de julho foi para mim um dia muito especial. Poder celebrar as minhas Bodas de Prata Sacerdotais com aqueles que amo e estimo. Esse dia teve o condão de ter concentrado toda a história de 25 anos. Anos de dedicação, aprendizagem, doação e crescimento com tanta gente. Amigos e familiares que quiseram estar comigo para agradecer a Deus o dom recebido. Agradeço o carinho e a presença de todos. Mas tenho de realçar com reconhecimento e agradecimento a todos os envolvido, tanto na celebração da liturgia que encheu a alma quem dela participou, como na organização e partilha do momento de convívio. Que a todos o nosso bom Deus através de Maria vos abençoe. Pe Filipe Lopes

Orlando Marques
Orlando Marques
Colaborador da paróquia da Caranguejeira. Director-adjunto do Notícias da Caranguejeira.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Este site usa cookies para assegurar uma melhor experiência de navegação.