Nove catecúmenos eleitos para o Batismo

Nove catecúmenos eleitos para o Batismo

No domingo, dia 10 de março, o primeiro da quaresma de 2019, os catecúmenos adultos da Diocese formalizaram a sua inscrição no livro dos catecúmenos para a caminhada mais intensa de preparação para a celebração dos sacramentos da iniciação cristã (Batismo, Confirmação e Eucaristia). São nove adultos, e estão a fazer o seu percurso catecumenal em várias paróquias, a saber: três na Marinha Grande, dois nos Pousos, um na Batalha, um na Bidoeira de Cima, um em Leiria e ainda um jovem adulto está a fazer a sua caminhada com o Serviço Pastoral do Ensino Superior.

O dia foi marcado por dois momentos distintos. No primeiro momento, pelas 17h00, tiveram a oportunidade de estar com o D. António, acompanhados dos seus padrinhos, catequistas e párocos. Para além do conhecimento mútuo, o Bispo teve a oportunidade de lhes falar mais pessoalmente e de os incentivar na sua caminhada catecumenal. Nesta parte do programa, cada um partilhou um pouco da sua história, aquilo que os levou a pedir o batismo, tendo havido um enfoque muito particular na questão da transmissão da fé e da importância da família neste processo e nesta decisão.

O segundo momento foi vivido em comunidade na Eucaristia que se celebrou na Sé de Leiria, às 18h30, presidida pelo Bispo diocesano que, na homilia, manifestava a sua “satisfação e alegria por acolhê-los como irmãos na fé”.

A Quaresma, tempo propício para a caminhada espiritual

O primeiro domingo da Quaresma é, tradicionalmente, o dia escolhido pela Igreja para a realização do rito de inscrição dos catecúmenos. Conforme nos explica o padre José Henrique, diretor do Serviço de Catequese que dinamiza este setor da pastoral, “normalmente, o caminho catecumenal termina no primeiro domingo da Quaresma e, a partir do momento em que inscrevem o seu nome, os catecúmenos tornam-se ‘eleitos’ e são considerados aptos para receberem o batismo e apresentados ao bispo”.  A partir desse momento, a caminhada deles torna-se mais intensa durante o período da Quaresma, para poderem ser batizados na Vigília Pascal. Como dizia o D. António na sua homilia, “na quarta-feira [de cinzas] entrámos no período belo e significativo na nossa vida de cristão”.

Durante a homilia, o Cardeal focou-se no Evangelho do domingo que narra o conhecido episódio das tentações de Jesus no Deserto. Aí, são apresentados três grupos de tentações, tendo em comum, todas elas, “as astúcias do mal que tantas vezes se apresenta sedutor”. O primeiro grupo de tentações enquadra-se no “desejo natural e legítimo do necessário” que pode evoluir para uma cegueira de bens materiais. Disso é o exemplo do desafio que Satanás faz ao próprio Jesus, propondo-lhe a transformação de pedras em pão.

No segundo grupo, está “a ambição do poder e glória mundanos”. Segundo D. António Marto, “o ter, o poder e o sucesso a todo o custo, leva-nos à corrupção”. No episódio do Evangelho, isso está explícito na frase “Se Te prostrares diante de mim, tudo será teu”. Finalmente, o último grupo de tentações é o da “instrumentalização de Deus para servir os nossos próprios interesses”. A partir do mesmo trecho do Evangelho onde ser pode ler “se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo, porque está escrito:‘Ele dará ordens aos seus Anjos a teu respeito,para que te guardem’”, D. António explica que “Deus, não é o Deus do espetáculo, não é um Deus intruso, mas que bate docemente à porta do nosso coração”.

Inscrição do nome no livro

Após a homilia, realizou-se o rito de inscrição propriamente dito. Numa cerimónia relativamente curta em que os catecúmenos começam por manifestar a sua vontade de receber os sacramentos da iniciação cristã, os candidatos abeiram-se do livro dos catecúmenos que está em lugar de destaque na celebração para aí inscreverem o seu nome. Seguidamente, é lembrado aos padrinhos que os acompanham nesta celebração do seu papel de acompanhantes e cuidadores dos catecúmenos.

De seguida, após a oração comunitária, procede-se ao rito da unção: após a oração sobre o óleo, o Bispo unge as mãos dos catecúmenos com esse mesmo óleo. Finalmente, estes recebem das mãos do prelado o chamado Símbolo da Fé, mais conhecido por Credo, que é pronunciado por toda a assembleia.


Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

5 de Outubro — 9h30 > 18h30
Seminário Diocesano de Leiria

Este site usa cookies para assegurar uma melhor experiência de navegação.