Natal da intromissão de Deus

Natal da intromissão de Deus

Sinal e mistério. O mistério não se intromete, é distante e invisível. O título da carta do Papa sobre o presépio de Natal é muito significativo. «O sinal admirável», o presépio de Jesus fala, incomoda, implica, insiste. O Menino, o Filho de Deus encarnado, é Deus connosco (Emanuel). Podemos não estar cientes dEle, mas a carne de Deus Menino existe em nós, em nossa casa e coração, nossa natureza. Ele vive ao nosso lado, ocupa espaço e tempo em nossas vidas. Com os mistérios, tenta-se organizar e resolver as coisas, sozinho. O sinal do Deus, visível no tempo e no espaço, invade nossos planos. Um Deus distante e misterioso ainda pode ser ignorado e rimado com agnosticismo, indiferença. Um pequenino Deus-homem, visível que vive na minha tenda, chora e começa a falar, não pode mais ser ignorado; pode atrapalhar e desarrumar. Pergunte a São José, Maria, os pastores, os sábios, o rei Herodes: todos ficaram surpreendidos e tiveram que mudar de plano. Em casa e na aldeia, Emanuel exige tempo, espaço e atenção. Um Deus-menino está lá, você vê. Quando ele cresce, requer ainda mais espaço, tempo e atenção. Ele fala e pede que as pessoas escutem; ele opina e se envolve em nossos planos. Ele se intromete, de surpresa, a propor seus planos. Já no A.T. um profeta foi enviado a Acaz; no N. T. Maria e José foram invadidos por Deus connosco (Emanuel), Deus com eles, Deus com você e comigo. Zacarias, «tua esposa terá um filho na velhice estéril». «É já o sexto mês», disse o anjo a Maria. «Não temas, José», abandona o teu plano e aceita o meu. Agora, Jesus sempre se intromete nas coisas de todos. No passado, o Deus invisível enviou mensageiros, anúncios, palavras, sentido, estrelas, alguns sinais, mas Ele não era visto. Em Jesus, ele apareceu como sinal de carne e sangue e começou a falar, como aos doze anos aos doutores. Ele mora na terra, os discípulos escreveram o que ele disse nos evangelhos, e agora Ele não deixa ninguém em paz. Um momento, um segundo e ali está Ele a intrometer-se na vida de cada um. «Vimos a sua estrela e viemos adorá-lo». Herodes quer matá-lo. José recebeu ordens: «levanta-te, pega no menino e sua mãe e foge. Aos doze anos, ele pergunta e responde aos doutores. Ele pede a Pedro, André, Mateus que deixem seus planos e o sigam. Ele insiste com Zaqueu: «desce, depressa, quero ficar em tua casa». Com Saulo, ele é surpreendente: «por que me persegues»? O Sinal Emanuel nunca será apagado, continuará a habitar com todos e a se intrometer na vida de todos. Está presente em milhões de presépios e muito mais tempo em muitos milhões de igrejas e capelas do mundo inteiro. O Deus Menino do Natal tira ao homem a ilusão de ser o centro do mundo; e faz enfrentar a mudança no homem e a aceitar ser filho e servo para ser perturbado por seu Senhor e Pai. E ser abençoado e amado nos planos de Deus, o Menino! Neste ano de 2020, peça a Jesus para te incomodar quando estiveres distante Dele. Será uma bênção! Um feliz Ano Novo para todos neste dia da Epifania dos Reis Magos.

Aires Gameiro, P.
Aires Gameiro, P.
Padre, psicólogo e professor universitário no Funchal.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Unidade dos cristãos. Quem une e organiza?

A semana de orações pela unidade dos cristãos na fé, caridade e ação, pede oração e reflexão sobre o pensar a Quem se ora. Só assim se une o conhecer ao desenvolvimento global, com mente e coração.

2016-06-21 fatima2

Paróquia de Fátima peregrina a Lisboa

A 20 de fevereiro, a paróquia de Fátima peregrina a Lisboa, ao lugar onde a santa Jacinta Marto faleceu, o Hospital Dona Estefânia, e ao Mosteiro das Clarissas, onde viveu antes do internamento hospitalar.

Festa da Palavra no Reguengo do Fetal

Realizou-se domingo, dia 19 de janeiro, na Igreja Matriz do Reguengo do Fetal, inserida na eucaristia dominical, a Festa da Palavra das crianças do 4º ano de catequese.