Missionários do Verbo Divino colaboram na Diocese

Missionários do Verbo Divino colaboram na Diocese

No dia 17 de setembro, D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima, e o padre António Leite, superior provincial da Congregação dos Missionários do Verbo Divino, em Portugal, assinaram uma convenção referente ao serviço pastoral de religiosos da mencionada congregação na diocese de Leiria-Fátima.

O documento estabelece as condições da colaboração e os compromissos assumidos por ambas as partes, em conformidade com as normas da Igreja Católica, no código de direito canónico.

Em consequência do acordo estabelecido, vêm trabalhar na Diocese os padres missionários Sebastian Joseph, da Índia, e Thomas Lasi, de Timor Oriental (Indonésia). Irão desempenhar o ministério pastoral como pároco e vigário paroquial, respetivamente, nas paróquias de Minde e Serra de Santo António, no concelho de Alcanena, onde tomam posse nos próximos dias 27 (às 18h, em Minde) e 28 de setembro (às 10h, Na Serra de Santo António).

Os Missionários do Verbo Divino já estão presentes em Fátima há muitos anos, onde têm um seminário e um hotel. Têm colaborado de várias formas na ação pastoral da Diocese. É a primeira vez, porém, que assumem a responsabilidade pastoral de paróquias. 

GIC
GIC
Gabinete de Informação e Comunicação. Todos os contactos, informações e sugestões devem ser dirigidos para gic@leiria-fatima.pt.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Promessas no agrupamento de Minde

As emoções e as alegrias, bem visíveis, neste feliz e tão simbólico cerimonial, no qual as palavras são tão sugestivas e significantes…. se transformem em atitudes concretas e constituam um modo de viver!

Agrupamento de Minde constrói ponte no polge

Os Pioneiros do Agrupamento 1336 de Minde deram a sua colaboração, muito escutista: construíram uma ponte que servirá para os caminhantes atravessarem um dos rios que corre agora na nossa Mata.