Jovens respondem à carta do D. António

Jovens respondem à carta do D. António

Na Carta Pastoral para a apresentação do Biénio Pastoral sobre os Jovens, D. António Marto dizia que iria escrever uma carta aos jovens e que ficava a aguardar as suas respostas. Efectivamente, essa missiva foi distribuída por todos os jovens participantes nos encontros vicariais que o Bispo da Diocese. Conforme escrevia o Cardeal, os jovens têm “um lugar especial no meu coração de bispo”. E acrescentava que “como Jesus foi ao encontro dos discípulos de Emaús, também eu e muitos outros na Igreja diocesana queremos ir ao teu encontro, para te escutar, dialogarmos, partilharmos a alegria do Evangelho e da fé e fazermos festa”. “Eu mesmo irei escrever-te uma carta e espero a tua resposta”, concluia, na Carta Pastoral.

No dia da Peregrinação Diocesana assistiu-se a um momento simbólico: os jovens levaram as cartas para entregar ao Bispo diocesano, e colocaram-nas num marco do correio que estava em frente da assembleia, entre esta e o altar. No final, dois dos jovens foram entregar pessoalmente as cartas ao cardeal D. António, depositando-as numa caixa de madeira. O que dizem essas cartas não sabemos. Já a carta que os mais novos receberam das mão do Prelado, publicamos a seguir.

D. António Marto entrega uma carta a um jovem num encontro vicarial

Caro(a) amigo(a),

Antes de mais envio-te uma saudação amiga e afetuosa.

Escrevo-te porque é meu desejo comunicar contigo como um amigo que fala a outro amigo, sejas crente ou não, onde quer que estejas e em qualquer ambiente, situação ou condição em que te encontras a viver. 

Não te escrevo para dizer o que deves fazer, mas para partilhar contigo algumas palavras e convidar-te a pensar a beleza e a riqueza da tua juventude, com os sonhos e as inquietações que lhe são próprias

1. Confia

Em primeiro lugar desejo exprimir-te a minha confiança na tua capacidade de fazer mexer as coisas paradas e de fazer algo para construir um mundo melhor. O mundo precisa de ti. Tu, com a energia da tua juventude, podes ser um dom para o mundo! 

2. Sonha

Por isso mesmo convido-te a “sonhar”, como diz o Papa Francisco, a ter projetos, ideais, aspirações grandes e belas. A tua vida tornar-se-á naquilo que de mais belo sonhares para ti e para o mundo. 

Os sonhos podem ser um motor poderoso para fazer avançar o mundo e renovar a Igreja. Uma pessoa que não tem sonhos nem projetos está envelhecida!

3. Compromete-te

Confio-te também a minha esperança de que te comprometas com boas e grandes causas. Põe os dons que recebeste ao serviço da sociedade e da comunidade cristã, em iniciativas de voluntariado de proximidade, apoio e partilha com os mais frágeis e necessitados e de cuidado ecológico com a nossa casa comum. Descobrirás que este compromisso te trará alegrias profundas. E, já agora, não tenhas medo de arriscar nem de te comprometer no casamento ou numa vida consagrada a Deus e aos outros.

4. Abre-te

A vida moderna abriu-nos para o mundo global. Tu já estás habituado a encontrar pessoas de outras culturas e até religiões. Isto faz-nos perceber quão necessário é cultivar a proximidade, a abertura, o diálogo, a cultura do encontro entre pessoas e povos, como caminho para a paz. Abre o teu coração e as tuas mãos para saudar, fazer amizade e ser solidário.

5. Descobre a presença de Deus em ti

Por fim, não posso deixar de te convidar a descobrires a presença de Deus em ti. A alegria de Deus é vir morar junto de nós, permanecer no teu coração. É o Deus amigo, que te ama, que te quer bem. Tu podes aprender a reconhecê-lo junto de ti, escutando a sua palavra, encontrando a beleza do seu amor, descobrindo o rosto de Jesus Cristo e do seu Evangelho. Confia que terás sempre uma comunidade de irmãos na fé que querem fazer caminho contigo: uma paróquia, um grupo de jovens, um padre, a tua família, um grupo de amigos… Não tenhas medo de procurar sentir o amor de Jesus por ti!

Termino, dando-te o meu testemunho pessoal de que a vida com Jesus Cristo é bela e feliz. Jesus nunca me desiludiu. Antes, fez-me conhecer uma vida rica de encontros e de alegrias. Também vivi provações. Elas fazem parte da vida. Mas não há que temer. Ele caminha a nosso lado. Jesus nunca me faltou com a sua força!

Gostava muito de continuar este diálogo. Depois desta carta, espero pela tua resposta, como uma conversa de amigo para amigo. Não importa a tua visão do mundo e da igreja. Como bispo, preciso de sentir os jovens perto de mim, saber o que pensam e o que sentem. Fico à espera da tua partilha, podes fazê-lo por carta ou por e-mail para antonio.marto@leiria-fatima.pt. Seria um gosto especial continuarmos este diálogo de amizade, de coração aberto. Prometo responder-te.

Despeço-me com um abraço amigo e com a certeza de que o Deus da vida nos acompanha com o seu amor ao longo de todos os nossos caminhos.

† António Marto, vosso bispo e irmão


Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

29 de Junho — 9h30 > 18h00
Aula Magna do Seminário Diocesano de Leiria