IPSS da Diocese crescem: inaugurações pelo ministro Mota Soares

IPSS da Diocese crescem: inaugurações pelo ministro Mota Soares

O dia 17 de fevereiro foi especial para duas instituições particulares de solidariedade social da diocese de Leiria-Fátima, que inauguraram novos espaços destinados aos serviços que prestam. Uma na Batalha, outra no Reguengo do Fetal, ambas contaram com a presença de Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, para que a festa fosse ainda mais significativa.

 

Junta de Ação Social da Paróquia da Batalha

2014-02-19 ipss ministro1
©2014 LMFerraz | Presente > Ver foto-reportagem

Fundada em 1952 por Maria Hercília Zúquete, na Batalha, com o nome de Junta de Ação Social da Diocese de Leiria-Fátima (em assembleia-geral de 16.07.2013 mudou a designação para “da Paróquia da Batalha”), visa “promover a solidariedade e a justiça entre os indivíduos e facultar serviços ou prestações de segurança social”. Fá-lo concretamente através do acolhimento de crianças na creche e jardim de infância Mouzinho de Albuquerque, procurando oferecer um serviço de qualidade acessível a todos, especialmente às famílias mais carenciadas.

Era essa a intenção da sua fundadora, que faria neste dia 90 anos de idade, e continua a ser essa a missão, referiu António Caseiro, atual presidente desta IPSS, no momento em que se inauguravam as novas instalações. “Quando faleceu, a fundadora tinha já intenção de construir uma nova sede, dadas as precárias condições do antigo edifício, e esta é a melhor forma de a homenagearmos na data do seu aniversário”, considerou.

Apesar dos tempos difíceis, “nada demoveu esta direção de prosseguir esse fim, cujo sucesso se deve a um alargado conjunto de parcerias com pessoas, instituições e empresas”, referiu António Caseiro, agradecendo em especial aos colaboradores e voluntários da instituição e apelando a que “essa colaboração continue por parte de toda a comunidade batalhense”.

Na mesma linha falou o presidente do município da Batalha, Paulo Batista Santos, sublinhando a importância de “não se descurar o social, sobretudo neste tempo em que somos forçados a duros cortes no investimento financeiro do Estado”. Saudando o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social por ser “um baluarte desta preocupação social”, Paulo Batista deixou a sua homenagem “a todos os que se dedicam a esta causa de ajudar os que menos têm”, uma característica que considerou estar no “DNA dos portugueses”.

“Momento difícil” foi também a caracterização de Pedro Mota Soares, para apontar a maior urgência da responsabilidade social de todos. “Aqui, o Estado não deve ser patrão, mas parceiro das instituições que são as verdadeiras obreiras da ação social no País”, defendeu o ministro, referindo ter sido essa política que permitiu aumentar sempre a verba disponibilizada às IPSS, na ordem dos 1.900 milhões no últimos três anos, bem como a devolução de 50% do IVA e a isenção de IRC, “contrariando as intenções da troika”. O governante afirmou estar “convencido de ser este um caminho certo”, pela visita constante que faz ao terreno e pela “constatação de que as instituições sabem gerir melhor do que o Estado as verbas destinadas à solidariedade”.

No final, Mota Soares deixou às várias dezenas de pessoas presentes a “inconfidência” de uma boa notícia. Fora acordada neste mesmo dia com a autarquia a mudança das instalações da Segurança Social para um novo local, abandonando o atual edifício pouco acessível a pessoas com mobilidade reduzida.

Durante a visita às instalações, as crianças foram quem melhor soube mostrar como são modernas, funcionais e alegres, ajudando mesmo com o canto a tornar a tarde mais festiva.

 

Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal

2014-02-19 ipss ministro2
©2014 LMFerraz | Presente Ver foto-reportagem

Da Batalha para o Reguengo do Fetal, Pedro Mota Soares presidiu também à sessão inaugural da ampliação das instalações do lar do Centro Paroquial de Assistência. “Foi um esforço de boas vontades”, garantiu o pároco, padre Nuno Gil, resumindo a história da instituição desde a sua fundação pelo padre José de Oliveira até à contingência de um piso inutilizado por ter um “pé direito” baixo, segundo a lei em vigor até há poucos anos. “O famoso ‘piso dos emigrantes’ – assim chamado pela ajuda da comunidade reguenguense a residir no estrangeiro – pode agora ser usado para ampliar a oferta do lar, com qualidade”, afirmou o pároco, agradecendo o esforço de muitas pessoas e instituições para que tal fosse possível.

António Lucas, presidente da Mesa da Assembleia desta IPSS e também da Assembleia Municipal da Batalha, recordou também as vicissitudes históricas desta obra e elogiou a capacidade do Governo para resolver “o erro legislativo” que impedia a sua total utilização. O mesmo referiu o presidente do Município, sublinhando que “esta IPSS é exemplo da nossa esperança no futuro, pela perseverança dos seus promotores e por ser a que no Concelho oferece uma resposta social mais vasta e completa, desde a infância até à terceira idade”.

“Estes são os verdadeiros heróis deste país”, considerou Mota Soares, dirigindo-se ao pároco e aos funcionários e voluntários da casa, “que diariamente dão o seu melhor e não poupam esforços pelo bem estar dos que mais precisam”. Citou, a esse propósito, a “lufada de ar fresco que é o Papa Francisco”, quando afirma que “o verdadeiro poder está em servir os outros”.

O ministro confidenciou que esteve há três anos neste local, em campanha eleitoral, e verificou a referida “insensatez da legislação que impedia a utilização do espaço por falta de três centímetros de altura no piso”. Por isso, “uma das primeiras preocupações que tive foi a de flexibilizar a lei que asfixiava muitas das IPSS e que permitiu criar 30 mil novas vagas no serviço social a crianças e idosos, sem necessidade de se investir em mais betão”, referiu. “Fiz questão de vir pessoalmente verificar o resultado”, concluiu o ministro, antes de percorrer os vários espaços do edifício, incluindo o célebre “piso dos emigrantes”.

As nossas notícias no seu email

Nota: para garantir a segurança e proteção dos seus dados, deve confirmar a sua inscrição. As instruções estão num email que irá receber. Depois de confirmar, começará a receber emails a partir de info@leiria-faima.pt com periodicidade irregular. A qualquer momento pode cancelar subscrição.
Luís Miguel Ferraz
Luís Miguel Ferraz
Paróquia da Batalha. Comunidade Cristã da Golpilheira. jornaldagolpilheira.pt
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...