Formação de agentes para a pastoral juvenil

Formação de agentes para a pastoral juvenil

No dia 5 de fevereiro começou mais uma temporada da Escola Diocesana Razões da Esperança (EDRE) e, com ela, chegam novas propostas. Uma delas é dinamizada pelo Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ) e destina-se à formação de agentes de pastoral juvenil, com sessões quinzenais no Seminário de Leiria.

Esta formação destina-se a adultos que trabalham pastoralmente com jovens, animadores de grupos de jovens, catequistas da adolescência, responsáveis de movimentos juvenis, e tem como principal objetivo “oferecer aos agentes de pastoral juvenil linhas de pensamento que os capacitem para elaborar uma proposta de pastoral juvenil atual, realista, que leve os jovens a uma verdadeira experiência de espiritualidade, de encontro com Cristo.”

Para responder a este objetivo, o SDPJ pensou um total de 8 módulos, a saber:

  • Psico-sociologia dos jovens e da fé
  • Sagrada Escritura e pastoral
  • Pastoral Litúrgica
  • Visão cristã do homem (antropologia cristã)
  • Pastoral juvenil e espiritualidade
  • Metodologias
  • Elaboração de um projecto de pastoral juvenil
  • Apresentação dos projectos de pastoral juvenil

Esta proposta formativa insere-se no programa do 2º semestre da EDRE e vai decorrer na 2ª hora (22h00-23h00) tendo uma regularidade quinzenal. Para a 1ª hora (21h00-22h00), as propostas de formação são as seguintes: “Cristo: Deus e Homem”, por Pe. Manuel Henrique, e “Profetas”, por Pe. Jonny Freire

A inscrição é feita presencialmente, no 1º dia, e tem o custo de 10€ (fica inscrito para a 1ª e a 2ª hora).

Na impossibilidade de estar presente, pode iniciar-se a formação na próxima data agendada (19 de fevereiro de 2019).

O que aconteceu na primeira sessão?

“Jovens, fé e vocação” – este é o mote do biénio pastoral da nossa diocese. Muito se tem escrito e discutido, inúmeras atividades têm sido pensadas e organizadas neste âmbito mas, se pretendemos transmitir aos jovens a alegria da fé através do encontro e da relação pessoal com Cristo, nos seus próprios caminhos de vida e na Igreja precisamos, talvez mais do que qualquer outra coisa, de pessoas. Pessoas preparadas, capazes e dispostas a acompanhar, isto é, a “fazer caminho com” os jovens. É precisamente neste sentido que a Escola Diocesana Razões da Esperança dinamiza a formação “Pastoral Juvenil”, que pretende oferecer aos seus participantes linhas de pensamento que os capacitem para elaborar uma proposta de pastoral juvenil atual e realista, que conduza os jovens a uma verdadeira experiência de espiritualidade e de encontro com Cristo.

A formação é composta por oito sessões, ao longo das quais pretendemos refletir sobre o contexto eclesial e social em que se move a juventude atual, reflexão esta a ser partilhada por formadores com experiências diversas no campo da pastoral juvenil.

A primeira sessão decorreu no passado dia 5 de fevereiro e, porque é de jovens e para jovens que falamos, nada melhor do que dar-lhes voz. Foi precisamente este o desafio a que se propôs a formadora Filomena Carvalho que, de forma engenhosa, levou a que fossemos conduzidos pela Joana, uma jovem de 18 anos comprometida com a fé e a Igreja. Pelas suas palavras, as da Joana, na voz da formadora Filomena, inteiramo-nos das características dos jovens de hoje e reconhecemo-nos no papel de “educadores” desafiados a ir para além da nossa zona de conforto.

Percebemos que os jovens, imersos num mundo acelerado que permanentemente apresenta solicitações e exige respostas, precisam de “bolhas” de descanso mental, sendo que a Catequese ou Grupos de Jovens podem ser um espaço privilegiado para este efeito.

Se muitas vezes nos questionamos sobre o que querem, a Joana esclarece: os jovens precisam que “lhes dêem exemplo, precisam de segurança, precisam de sentido, precisam de viver o Evangelho à luz das suas experiências no seu dia-a-dia” e, acrescenta, precisam de “amor com firmeza”. Assim, é-nos pedido que sejamos acolhedores e capazes de proximidade, que tenhamos uma mente aberta e disponibilidade para discutir temas que interessam aos jovens, que saibamos ir ao encontro da sua linguagem e que os saibamos olhar para além das generalizações, na sua individualidade.

Concluindo a sessão, foi-nos proposta a reflexão acerca da questão transversal a toda a formação: de que forma podemos, através das nossas sessões de Catequese ou Grupo de Jovens, ajudar a capacitar os jovens para serem cristãos no mundo atual?

Aos que pretendam fazer-se ao caminho, saibam que ainda estão a tempo de juntar-se ao grupo. Afinal de contas, “Quando, se não agora? Onde, se não aqui? Quem, se não nós?” (J.F. Kennedy).

\\ Jacinta Baptista

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...