Encontros para o 10.º ano da catequese: «E Depois?»

Encontros para o 10.º ano da catequese: «E Depois?»

O Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ) está, mais uma vez, a organizar um encontro para os catequisandos do 10.º ano, intitulado de «E Depois?».

O objetivo é levá-los a refletir acerca do seu percurso de catequese e passar a mensagem de que, após o último ano e a receção do sacramento do Crismo, devem tornar-se protagonistas ao serviço da comunidade e assumir nela o seu lugar próprio, com todos os outros cristãos. Nesse sentido, serão apresentadas propostas concretas para essa integração no seio das comunidades, bem como os serviços pastorais da Diocese que os podem ajudar nesta missão.

O imaginário desta atividade é uma sessão de tribunal, onde os adolescentes serão levados a refletir acerca da importância dos seus 10 anos de catequese, ponderando em “julgamento” os fatores positivos e negativos da sua experiência. O encontro, com a duração de cerca de três horas (10h00-13h00), está marcado para três datas e locais diferentes, de modo a que cada grupo possa escolher o que mais lhe convém (apenas um deles): no dia 1 de dezembro, na Barosa; dia 12 de janeiro, no Souto da Carpalhosa; dia 16 de fevereiro, na Memória.

A inscrição é limitada a 80 participantes por sessão.

As nossas notícias no seu email

Nota: para garantir a segurança e proteção dos seus dados, deve confirmar a sua inscrição. As instruções estão num email que irá receber. Depois de confirmar, começará a receber emails a partir de info@leiria-faima.pt com periodicidade irregular. A qualquer momento pode cancelar subscrição.
GIC
GIC
Gabinete de Informação e Comunicação. Todos os contactos, informações e sugestões devem ser dirigidos para gic@leiria-fatima.pt.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Diocese cancela Festa da Juventude

Este cancelamento que o nosso bispo D. António Marto lamenta, mas que se viu obrigado a decidir, é acompanhado por um agradecimento a todas as pessoas e entidades que estavam envolvidas na sua realização.