Encontro vicarial de Ourém: “A devoção a Maria é muito mais do que a mera devoção sentimental”

Encontro vicarial de Ourém: “A devoção a Maria é muito mais do que a mera devoção sentimental”

De que modo Maria marca e molda a vida do cristão e do povo de Deus? Como dar sentido à devoção mariana, de tal maneira que ajude a viver a vida cristã? Duas questões lançadas pelo Bispo diocesano, D. António Marto, e que serviram de ponto de partida para a reflexão que partilhou com os fiéis, no encontro com a vigararia de Ourém, que decorreu na Gondemaria, a 4 de dezembro.

“A devoção e amor filial a Maria é muito mais do que a mera devoção sentimental”, afirmou o pastor. “É uma contemplação da beleza de Deus e da beleza do seu amor  que se espelha em Maria, a quem pediu para ser colaboradora para que Ele pudesse viver na história do mundo dos homens e reunir a humanidade dispersa em Jesus Cristo”, resumiu. E concretizou dizendo que “contemplar Maria é contemplar a beleza da Igreja, Povo de Deus, este povo de que Maria é membro por excelência e mãe amorosa. Contemplar a Maria é também contemplar a beleza da vida amorosa em Cristo, que se espelha nela, primeira discípula e a discípula mais perfeita de Jesus Cristo”.

 

Expressões da piedade mariana

A devoção mariana traduz-se em imensas evocações e devoções pelo mundo inteiro. “Nossa senhora entrou a fazer parte da vida afectuosa de milhões de cristãos e católicos. Faz parte da nossa família, é da nossa casa”, salientou o Bispo. Só na vigararia de Ourém, há mais de seis dezenas de capelas e igrejas onde Nossa Senhora é venerada sob o título da Natividade, da Purificação, da Piedade, do Rosário ou do Testinho.

A primeira e mais bela expressão da devoção mariana é a do culto litúrgico. “Celebramos os principais mistérios de Cristo e também, de maneira oficial, a Igreja celebra os momentos em que Maria está mais associada à vida de Cristo: Natal e Páscoa”. São ainda celebradas outras solenidades, a Imaculada Conceição e a Assunção de Nossa Senhora ao Céu. “Para além do culto litúrgico, a veneração assumiu no mundo inteiro diferentes formas que exprimem a diversa sensibilidade, das tradições culturais, da riqueza criativa do amor à mãe”, assinala o Bispo. Sem esquecer a “oração popularíssima, a Ave Maria”.

O biénio que se vive na Diocese de Leiria-Fátima é dedicado a Nossa Senhora. No primeiro ano, os fiéis são desafiados a “conhecer mais de perto a figura da virgem mãe na história da salvação, no projecto de salvação para os homens”, assinala D. António Marto. O segundo ano é “dedicado ao conhecimento e aprofundamento à mensagem  que trouxe em Fátima e à Igreja”, explica.

 

Próximos encontros vicariais

8 de janeiro: Vigararia de Porto de Mós

15 de janeiro: Vigararia da Batalha

22 de janeiro: Vigararia das Colmeias

29 de janeiro: Vigararia de Leiria

5 de fevereiro: Vigararia de Fátima

12 de fevereiro: Vigararia de Marinha Grande

26 de fevereiro: Vigararia dos Milagres

11 de março: Vigararia de Monte Real

GIC
GIC
Gabinete de Informação e Comunicação. Todos os contactos, informações e sugestões devem ser dirigidos para gic@leiria-fatima.pt.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...