Editorial Rede 21

Como não podia deixar de ser, o destaque desta semana vai para o novo presbítero que a Diocese acaba de conhecer. A Igreja está grata por mais um jovem decidir comprometer-se com a vinha do Senhor e entregar as suas mãos ao serviço do Reino de Deus.

Deixamos também uma sugestão: ler a homilia que o bispo D. António Marto proferiu nessa mesma celebração. O nosso pastor explica, como só ele sabe, os principais gestos que fazem parte do rito da ordenação em que, embora passando despercebida, a simbólica das mãos ganha uma força poderosa e um significado profundo. Para termos uma ideia mais precisa, o emprego da palavra “mão” ou “mãos”, é feito em 33 ocasiões — que, por si, já é, curiosamente, um número carregado de simbolismo —, sendo que a primeira, é uma pergunta que o próprio neo-sacerdote faz numa carta dirigida ao Bispo,

— Será que as minhas mãos vão fazer sempre o bem?

e que, por sua vez, dá o mote à homilia: “NAS TUAS MÃOS ESTÁ A MINHA VIDA“.

São estas as mãos

que os discípulos puderam ver abertas e trespassadas na cruz. São as mãos que Cristo mostrou aos seus apóstolos após a ressurreição e que Tomé queria tocar. São as mãos que partiram o pão e tomaram o cálice na última ceia; que lavaram os pés sujos dos doze apóstolos; que agarraram Pedro quando se afundava nas águas do lago; que levantaram a filha de Jairo já sem vida; que tocaram e curaram o leproso descartado por todos; que se estenderam sobre as crianças para as abençoar.

Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...

Editorial Rede 25

Quando os 72 discípulos foram enviados por Jesus, aos pares, sem mais nada senão a roupa que traziam vestida, as sandálias e,

Editorial Rede 24

Já é um lugar comum dizer que temos Fátima aqui tão perto e não lhe damos o valor devido. É daqueles casos

29 de Junho — 9h30 > 18h00
Aula Magna do Seminário Diocesano de Leiria