Editorial Rede 14

No próximo domingo, a Diocese de Leiria-Fátima é convidada pelo seu Bispo a congregar-se no Santuário de Fátima na sua peregrinação anual. Poder-se-ia fazer uma referência à importância de uma Igreja local fazer uma peregrinação em conjunto, como metáfora do caminho feito pelo Povo de Deus em direção à Terra Prometida. Poder-se-ia, também, aludir-se à importância que tem este momento, enquanto ocasião de congregação e coesão de uma comunidade de crentes que partilham a mesma fé, a fé que os move a ultrapassar as agruras do caminho em direção à Casa do Pai. 

Esta oportunidade é, podemos afirmá-lo, uma ocasião para agradecermos a graça que é integrar no nosso território um dos grandes pulmões da cristandade dos tempos atuais. Como diz o povo, na sua simples sabedoria, dá Deus nozes… Aplicando o adágio à nossa condição de diocesanos de Leiria-Fátima, facilmente se percebe que, dada a nossa proximidade, nem sempre nos damos conta do privilégio que é estarmos aqui ao lado do Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima e podermos, em meia dúzia de horas, peregrinarmos a pé desde as nossas casas até à Cova da Iria e, aí, participarmos no programa que nos foi preparado.

Faz-me lembrar um diaporama que já revi tantas vezes desde a minha adolescência: o país dos poços. Como as personagens da história, somos os poços que, gozando da sombra da montanha donde brotam os veios de água que, assim queiramos, alimentam o nosso bocal, nem sempre reparamos no que é evidente. A nossa montanha está aqui ao lado; ela sacia-nos, ela une-nos. Na verdade, basta estarmos atentos e decidirmos despejar a “tralha” que nos enche.

Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leia também...

Editorial Rede 25

Quando os 72 discípulos foram enviados por Jesus, aos pares, sem mais nada senão a roupa que traziam vestida, as sandálias e,

Editorial Rede 24

Já é um lugar comum dizer que temos Fátima aqui tão perto e não lhe damos o valor devido. É daqueles casos

29 de Junho — 9h30 > 18h00
Aula Magna do Seminário Diocesano de Leiria