D. António Marto dá posse a novos dirigentes da cúria e apresenta o próximo ano

D. António Marto dá posse a novos dirigentes da cúria e apresenta o próximo ano

Por convocatória do bispo D. António Marto, os colaboradores da Cúria diocesana reuniram-se no dia 9 de setembro para a tomada de posse dos recém nomeados.

Após o momento de oração inicial, o Bispo diocesano tomou a palavra naquela que considera “um momento muito significativo da vida diocesana, de comunhão na presença daqueles que assumem novos cargos” e agradeceu a todos os presentes a colaboração que têm prestado à Diocese.

Por se estar a iniciar um novo ano pastoral, o segundo do biénio dedicado aos jovens, fé e vocação sob o lema “Quem és tu, Senhor?” cujo sub-tema é “Vocação: caminhos de vida e serviço”, o Cardeal, informou que estaria ausente em Roma no próximo dia 5 de outubro, data da realização do Fórum sobre os jovens e de início oficial do ano pastoral. Por isso, aproveitou para fazer uma breve apresentação, ficando três grandes tópicos: o enquadramento do percurso da pastoral juvenil na temática do biénio e nas realizações do primeiro ano, as indicações dadas pelo Papa Francisco nesta área pastoral e ainda algumas informações para o próximo ano.

Um retrato da juventude

Para D. António Marto, a fase da adolescência e da juventude é “decisiva no crescimento humano e espiritual”, o que é manifesta razão para atribuir importância à pastoral do setor e, sobretudo aos seus destinatários, que vivem num contexto e cultural muito especiais. “Parece que a norma social está a desaparecer”, afirmou, justificando com o cada vez mais evidente “imperativo da autonomia do indivíduo”, para quem o “espaço digital e as questões afetivo-sexuais parecem ser os temas mais intrigantes”.

O Bispo acha que os jovens “aprendem dos adultos aquilo que vêm fazer e não aquilo que ensinam a fazer”, explicando que os paradigmas de aquisição de conhecimento mudaram muito, ao ponto de haver uma clara “necessidade de tomada de consciência da própria pessoa” numa “fase da vida em que o jovem aprende a pensar por si” e numa época de que se exalta “o estatuto do corpo” e “a identidade do género se torna fluida”. Em resposta a estas problemáticas, D. António Marto considera que “o percurso catecumenal para ser, nesta fase da vida, o mais adequado”, dando ênfase ao caminho a fazer em grupo e salientado “a paciência do crescimento”. Só assim que conseguem “criar condições para o encontro com o Jesus Cristo Vivo”. Querer ensinar os jovens “do alto da cátedra ou do poder, já não funciona”, pois os “jovens querem ser atores do seu próprio saber”.

Aliás, o próprio Papa Francisco afirma que os jovens ensinam que é preciso “assumir novos estilos e novas estratégias” que atraiam os mais novos e que fujam do conservadorismo das reuniões e programações pouco aliciantes. “Os jovens sabem encontrar os caminhos atraentes” e a sua linguagem preferencial é a da “proximidade e amor desinteressado, a sua gramática é a do amor e não do proselitismo”, explicou o Bispo. Concretamente, é de opinião que a juventude aborrece-se apenas com encontros formativos, pelo que deixa um desejo: “acalmemos a ânsia de transmitirmos uma grande quantidade de conteúdos doutrinais”.

Ações principais do ano pastoral

Para além do Fórum que marca o Dia da Diocese, o Bispo diocesano realçou a programação dos encontros vicariais de oração em que ele participará com todos os jovens que queiram estar presentes. Também destacou o projecto de serviço organizado de propostas de voluntariado que está a ser concretizado no projeto Em Saída (emsaida.leiria-fatima.pt), e a reativação do grupo diocesano de acompanhamento vocacional Em Rede.

Da esquerda para a direita: padre Eduardo Domingues Caseiro, padre Manuel Vítor de Pina Pedro, padre Sílvio Litvinczuk, padre Marcelo Cavalcante de Moraes e Dr. José Joaquim Gomes da Costa Carneiro.

Tomadas de posse e compromisso

Depois das palavras do D. António, procedeu-se à tomada de posse dos recentemente nomeados e respetivo compromisso “de cumprir com diligência, competência e fidelidade os deveres a que estão obrigados, segundo o espírito do Evangelho, os ensinamen­tos do Magistério e as orientações pastorais do Bispo Diocesano”.

Tomaram posse nas tarefas para que foram nomeados, os seguintes titulares:

O padre Eduardo Domingues Caseiro assumiu a direção do Centro de Cultura e Formação Cristã, substituindo o Pedro Valinho Gomes que foi para a Bélgica fazer um doutoramento em teologia na Universidade de Louvain-La-Neuve.

O Dr. José Joaquim Gomes da Costa Carneiro e o padre Sílvio Litvinczuk passam a ser os juízes do Tribunal Eclesiástico, acompanhados pelo padre Manuel Vítor de Pina Pedro, que exercerá as funções de Defensor do Vínculo e Promotor de Justiça do mesmo Tribunal.

Também foi dada posse ao padre Marcelo Cavalcante de Moraes como Assistente Eclesiástico do Renovamento Carismático Católico na Diocese de Leiria-Fátima.

As nossas notícias no seu email

Nota: para garantir a segurança e proteção dos seus dados, deve confirmar a sua inscrição. As instruções estão num email que irá receber. Depois de confirmar, começará a receber emails a partir de info@leiria-faima.pt com periodicidade irregular. A qualquer momento pode cancelar subscrição.
Paulo Adriano
Paulo Adriano
Diretor do Gabinete de Informação e Comunicação da Diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Como Jacob em Penuel

Estou de quarentena, como alguns milhões de portugueses, nesta hora.Olho com certa nostalgia, pela janela, aberta de par em par, como o