Como vivemos o Natal…

Como vivemos o Natal…

“O Natal com as cores da misericórdia” é o mote da Mensagem de D. António Marto para esta quadra festiva. À procura de concretizações desta mensagem, partilhamos algumas vivências do Natal em instituições ou comunidades onde têm especial significado palavras como amor, alegria, família, liberdade, saúde, felicidade ou… vida.

 

Centro de Acolhimento de Leiria

Um Natal de tristeza e gratidão

2016-12-20 natal1No Centro de Acolhimento de Leiria (CAL), o almoço de Natal acontece no dia 24 de dezembro. Bacalhau e os doces compõe a ementa oferecida por esta obra social da paróquia de Leiria, que acolhe todos quantos “manifestam carências primárias, para que satisfaçam com respeito e dignidade as suas necessidades”.

Na noite de 24 de dezembro, 37 utentes do CAL vão partilhar a ceia de Natal com famílias de voluntários, na Quinta das Silveiras, nos arredores de Leiria que, desde o ano passado, faz questão de oferecer o espaço para lhes proporcionar este momento de convívio.

“Vão ter uma ceia de Natal com vários pratos, direito a presente e também animação. É uma oportunidade de passar esta noite especial com uma família alargada”, explica Edite Tojeira, que coordena o CAL.

Os utentes que não participam nesta iniciativa vão passar o Natal com familiares ou conhecidos, refere a responsável, que nota “uma experiência diferente”, ao longo dos últimos anos, na relação entre os utentes, nesta época do ano.

“Nos dias de Natal, alguns dos utentes, não tendo família, juntam-se entre si, por forma a não passarem sozinhos este momento. Não digo que não haja quem passe a noite de Natal sozinho, mas é de sublinhar esta experiência de aproximação na adversidade.”

Há, por estes dias, no CAL, um misto de sentimentos naqueles que ali procuram apoio. De perda e tristeza, nos que não podem passar a quadra junto da família, mas também de gratidão e alegria, por encontrarem, naquele espaço, a família que não têm. | DCA

 

Hospital de Santo André – Leiria

Longe de casa e da família

2016-12-20 natal2A noite de Natal também se passa no hospital, longe da família e de casa, onde ninguém devia faltar, muito menos por doença. Mas quando há doença a mais, é lá que se tem de passar.

Na visita regular que faz aos doentes, o padre Pedro Viva, capelão do hospital, dá uma palavra de conforto e esperança àqueles que se vêem privados de passar o Natal com a família. Na obstetrícia, os bebés que nascem no dia de Natal são motivo de grande alegria para os pais, conta o sacerdote.

Também os a Liga dos Amigos do Hospital faz por animar a quadra. Já estiveram na unidade de psiquiatria, nos Andrinos, onde prepararam um jantar convívio de Natal para os 44 utentes, a quem presentearam com vestuário, oferecido por um pronto-a-vestir de Leiria.

E como passam lá o Natal os que têm família a menos?

“Nota-se uma carência afetiva muito grande naqueles que não têm ninguém”, diz-me Cristina Vaz, que coordena o voluntariado no hospital de Leiria. Este ano, na noite de Natal, vão oferecer um anjinho a todos a quem a doença obrigou a trocar o lugar na mesa de consoada por uma cama numa enfermaria.

Não escolheram estar ali e, se pudessem, trocavam de lugar, mesmo sem saber com quem nem para onde, que quem não tem família, sente-se sempre perdido.

“Aqueles olhinhos e o apertar das mãos dizem tudo”, conta Cristina Vaz.

No tudo que dizem, devem gritar em silêncio que lhes falta o essencial: saúde, família e um lugar na mesa de Natal. Sobra-hes um anjinho, a quem invejam as asas para poder voar dali. Mas para onde?

A noite de Natal também se passa no hospital, longe de casa e da família, que nunca devia faltar, muito menos na doença. | DCA

 

Lar do CPA do Reguengo do Fetal

“Apesar da melancolia da saudade,
há sempre momentos de alegria”

2016-12-20 natal3No lar do Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal (CPARF), o Natal começa a ser vivido na semana que antecede o advento, com os utentes a prepararem os enfeites “simples” que vão decorar “encher de cor e brilho” o espaço.

“É uma época de alegria e também de muita saudade e dor, sobretudo pela distância: com as famílias, com a vida vivida e pela doença e limitações da idade”, lembra Carla Henriques, diretora técnica daquela instituição.

A festa de Natal, aberta a todas as famílias e amigos, é abrilhantada com cânticos e representações teatrais interpretadas pelos utentes com a ajuda dos técnicos do CPARF e a Sociedade Artística e Musical dos Pousos. “Mesmo com a melancolia da saudade, há sempre momentos de alegria!”

A Missa de Natal também é vivida de forma especial, rica em sinais e na animação. Muitas vezes, são os próprios familiares dos utentes que ajudam na animação do lar, nestes dias festivos, conta Carla Henriques.

“As famílias, presentes e ausentes, são de extrema importância neste período, oferecendo aos idosos o seu Natal. Na nossa instituição, alguns dos utentes autónomos saem com os seus familiares para celebrar o Natal, na véspera, no dia 25, ou noutro qualquer dia deste tempo litúrgico.”

Com as iguarias preparadas para o almoço de Natal, só há uma regra: a de esquecer, por momentos, as doenças e as restrições alimentares. E o Natal é celebrado à volta de uma mesa animada por colaboradoras que, por um dia, se vestem de rei mago e de pai natal e oferecem um Natal diferente a quem já ofereceu muitos natais aos seus. | DCA

 

Estabelecimento Prisional de Leiria

Uma vela que aquece a noite

2016-12-20 natal4Na dia 24 de dezembro, os Samaritanos – Visitadores dos Estabelecimentos Prisionais de Leiria – vão entregar aos reclusos do Estabelecimento Prisional de Leiria (EPL) uma vela, para acenderem na sua cela, lembrando simbolicamente da noite de Natal.

Um contacto mais próximo só vai acontecer a 7 de janeiro, data para a qual o grupo tem prevista uma visita a cada pavilhão para realizar uma pequena celebração.

“O encontro acontece no refeitório, aonde vêm aqueles que querem participar nesta parte mais celebrativa. Lê-se um texto e faz-se uma pequena reflexão sobre o Natal”, concretiza Joaquim Carrasqueiro, responsável dos Samaritanos.

Depois de uma dinâmica lúdica, vai ser entregue uma lembrança aos reclusos que participam nas atividades desenvolvidas pelo grupo. Este ano, vai ser um pequeno presépio com íman, para colocar nas celas. A todos, oferecem presentes: um par de meias, uma agenda jovem, uma esferográfica e bolo rei, oferecido pelas pastelarias da região.

“É um momento aguardado por muitos, que já esperam alguma coisa da nossa parte. Porque passamos o ano com eles, é como se fizéssemos parte da família deles. Mas é, ao mesmo tempo, uma altura particularmente difícil para muitos… especialmente para aqueles que costumam partilhar o Natal com a família.”

Na cela, presos e impossibilitados de estarem com a família, a luz de uma vela vai alumiar a noite que celebra o nascimento d’Aquele que veio libertar o mundo. | DCA

 

Comunidade Cenáculo

Viver o Bem no coração

2016-12-20 natal5Na Comunidade Cenáculo pode contemplar-se com muita admiração o milagre de ver rapazes e raparigas que já estiveram “mortos” e que estão agora ressuscitados, que são capazes de gestos de amor, de bondade sincera, de serviço fiel e gratuito, trabalho intenso, capazes de resgatar a própria vida demonstrando que quando o homem encontra Deus emerge do seu coração o melhor que habita em nós: o Bem.

O período natalício é vivido em cada fraternidade de modo simples. Durante o tempo do Advento, cada jovem tem a possibilidade de se preparar através de vários compromissos que passam pelo trabalho, pela correção fraterna e pela adoração eucarística.

Apesar de cada um de nós ser de proveniências diversas, não nos sentimos distantes das nossas famílias, dado que a nossa comunidade é uma escola de vida e de fé, e através da oração sentimo-nos em comunhão com os nossos entes queridos.

Que o contemplar o nascimento de Jesus que vem faça renascer a nossa esperança: a Misericórdia de Deus vem habitar a nossa humanidade! Os nossos corações tornam-se deste modo capazes de gestos sinceros de bondade.

Um Santo Natal para todos!

Piero Peratoner

 

Comunidade Papa João XXIII

Família é “terapia para aliviar
solidões profundas”

2016-12-20 natal6Natal… Natal… Natal!!! Festa que aquece os corações, os sentimentos, parêntesis bom nesta vida um pouco fria. Mas… os sós, os abandonados, aqueles para quem mesmo naquele dia não toca o telemóvel (se o têm), porque ninguém os chama para os felicitar. A estes, o Natal soa um pouco triste: memórias, conflitos, em suma… melancolia mais do que alegria.

Eis então que o esforço de uma família que vive com eles e eles connosco, 24 horas por dia, todos os dias do ano, assim simplesmente e como uma família precisamente, pode aliviar aquele montão de coisas e fazê-los passar também eles dias de alegre companhia. De resto, o nome Comunidade pode fazer pensar numa estrutura dentro da qual há pessoas necessitadas que são assistidas por turnos por quem as assiste. E, contudo, não é assim. Entre nós, a palavra clara é família; e relações familiares. Esta é a terapia para aliviar solidões profundas. Que este Natal suscite famílias missionárias e, porque não…, que aumentem as possibilidades de tirar alguém da solidão e abandono, até mesmo com a ajuda da Comunidade Papa João XXIII. Feliz Natal!!!

Família Trovato, Fátima

 

Família do Bom Samaritano

“Jesus, o Menino que enche o nosso coração”

2016-12-20 natal7O Natal de Jesus na Família do Bom Samaritano, procuramos que seja vivido com autenticidade, recordando com alegria e ternura o maior acontecimento oferecido por Deus a toda a humanidade.

Fazemos deste tempo um verdadeiro hino de louvor e ação de graças pelo dom da FAMÍLIA, o mais belo e precioso tesouro dado por Deus a todos nós, aproveitando cada momento para fortalecer os laços da nossa identidade cristã em família, com destaque para a preparação de Natal das irmãs, meninas e dos colaboradores.

O momento alto desta festividade coincide com a realização da nossa Festa de Natal, que este ano decorreu no passado domingo, dia 18 de dezembro, envolvendo a numerosa Família do Bom Samaritano, registando-se a presença de centenas de pessoas, entre familiares das meninas e crianças da Casa do Bom Samaritano, amigos, benfeitores e entidades religiosas e oficiais, recordando assim o Mistério do nascimento de Jesus.

A festa começou com a Celebração da Eucaristia, presidida pelo nosso muito querido e amigo D. Serafim Ferreira e Silva, Bispo Emérito de Leiria-Fátima, e concelebrada por D. Augusto César Alves Ferreira da Silva, Bispo Emérito de Portalegre-Castelo Branco, e outros sacerdotes.

Após a Eucaristia, como é habitual, decorreu um momento cultural, dedicado à encenação e dramatização do nascimento de Jesus. O Auto de Natal, intitulado “Jesus, o Menino que enche o nosso coração”, envolveu a participação de 22 meninas, 25 crianças, 22 colaboradores e 5 filhos de funcionários da Instituição.

No final, decorreu um lanche de partilha e confraternização, resultado dos frutos e dons oferecidos pela Divina Providência, através da generosidade de muitas famílias, amigos e benfeitores da Instituição.

Fernando Vieira, diretor executivo do CSDP

 

Comunidade Vida e Paz

Momento especial de fraternidade

2016-12-20 natal8O Centro de Fátima, como Instituição de Solidariedade Social, vive o Natal em festa e em família, onde predomina a amizade e fraternidade. Os utentes podem confraternizar, partilhar as suas experiências e também as suas “dores”, apoiarem-se emocionalmente entre si, com o apoio de toda a equipa. É um momento em que os utentes podem entrar em contacto com familiares, voluntários, benfeitores e amigos, para tal a festa de natal permite todo esse convívio.

Este ano será a 22 de dezembro. Durante este dia, irá haver Eucaristia, momentos lúdicos repletos de muita animação, diversão e surpresas.

Será, pois, uma festa que irá transmitir mensagens de saúde, amor, fé e esperança para todos conseguirem alcançar a sua recuperação, agora que se aproxima esta quadra mágica e tão bela que é o Natal!

Emanuel Capote (utente)

As nossas notícias no seu email

Nota: para garantir a segurança e proteção dos seus dados, deve confirmar a sua inscrição. As instruções estão num email que irá receber. Depois de confirmar, começará a receber emails a partir de info@leiria-faima.pt com periodicidade irregular. A qualquer momento pode cancelar subscrição.
GIC
GIC
Gabinete de Informação e Comunicação. Todos os contactos, informações e sugestões devem ser dirigidos para gic@leiria-fatima.pt.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Escuteiros da Sé fazem Via Sacra pela internet

Em tempos de Covid-19, a alternativa à tradicional e presencial Via Sacra, foi a versão à distância no formato vídeo conferência. Fábio Bernardino, assistente do agrupamento, diz-nos que foi “um momento muito bem vivido”