Cardeal D. António Marto acompanhou padres mais novos em passeio

Cardeal D. António Marto acompanhou padres mais novos em passeio

A viagem anual de confraternização, cultura e oração dos padres mais novos da Diocese de Leiria-Fátima com o bispo teve lugar hoje, dia 4 de julho. Começou com oração no Seminário, depois da qual o grupo rumou ao norte do país. Frazão e S. Pedro de Ferreira, no concelho de Paços de Ferreira, foram os primeiros destinos, tendo sido acolhidos pelo pároco local, padre João Pedro, e outros membros da direção da empresa “Paladares paroquiais”, que produz queijo, bolos e compotas com finalidade de solidariedade social. Juntos concelebraram a Eucaristia na igreja do mosteiro de S. Pedro de Ferreira (foto). 

O destino seguinte foi a Quinta da Aveleda, em Penafiel, que visitaram e onde almoçaram na companhia de proprietários da mesma. Conheceram a casa senhorial, a capela e a produção de vinhos da Quinta e passearam pelos jardins. Depois de meio da tarde, regressaram a Leiria.

Esta atividade insere-se no empenho do bispo diocesano por prestar acompanhamento especial aos padres nos primeiros dez anos após a ordenação sacerdotal, através do Serviço de Apoio ao Clero, mediante várias atividades de formação e partilha. Inclui os padres diocesanos e também os religiosos comprometidos no serviço pastoral na Diocese.

As nossas notícias no seu email

Nota: para garantir a segurança e proteção dos seus dados, deve confirmar a sua inscrição. As instruções estão num email que irá receber. Depois de confirmar, começará a receber emails a partir de info@leiria-faima.pt com periodicidade irregular. A qualquer momento pode cancelar subscrição.
Jorge Guarda, P.
Jorge Guarda, P.
Vigário Geral da diocese de Leiria-Fátima.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Silêncio e ação de Deus perante o sofrimento humano

Lamenta-se com frequência o silêncio e a passividade de Deus perante o sofrimento humano. Esperava-se que, perante uma calamidade ou um acidente, Deus agisse como a proteção civil, os bombeiros, os médicos e os profissionais de saúde, socorrendo imediatamente as vítimas e curando o seu mal.

A porção de dor: um bem necessário na missão

Muita coisa se pode dizer sobre viagens da vida, sobre as pessoas, os seus comportamentos, as suas diferenças (e o tanto que temos em comum). Mas pouco talvez tenha esta ida-volta de simples viagem. Não foi só isso.