Adolescentes da Freixianda assumiram o desafio de ser Igreja

Adolescentes da Freixianda assumiram o desafio de ser Igreja

Sábado de manhã e tenho de me levantar cedo! São 8h00, foi esta a hora combinada para sairmos da Freixianda em direcção a Ourém. Vamos ter uma actividade da catequese ”I-Challenge – o desafio de ser Igreja”. Ainda não percebemos muito bem ao que vamos, mas tenho um palpite que talvez iremos gostar!

Já tínhamos feito uma preparação na catequese que tinha como tema o texto da viagem de São Paulo para Damasco (Atos dos Apóstolos). Tínhamos recebido uma carta de um tal de Pedro que nos convidava para participar nesta actividade e que nos disse que ia ser fixe! Vamos lá ver se ele tem razão!

Da Freixianda fomos 3 grupos, cerca de 30 adolescentes do 9º e 10º anos da catequese, juntamente com 3 catequistas, que nos iam acompanhar durante todo o dia. A participar estavam muitos adolescentes, perto de 600, acompanhados por uns 120 adultos. Eram no total 77 grupos de toda a nossa diocese de Leiria-Fátima.

Durante a manhã, aceitámos o desafio de nos pormos a caminho, tal como São Paulo no caminho de Damasco. Partimos e encontrámos 5 postos diferentes  com  desafios  interessantes: “A curva das dúvidas e questões”, ”A rampa da vergonha”, “A reta das certezas”,“O marco dos Medos”e “A subida das perseguições”. Ainda pelo meio fomos encontrando vários postos de QR Code, com várias passagens da Bíblia, que nos foram dando a conhecer ainda melhor o Apóstolo São Paulo e como ele, de grande perseguidor dos cristãos, que perseguia, prendia e maltratava, passou a ser um grande Apóstolo, um dos que teve maior atividade na defesa de Jesus e na divulgação da Sua mensagem e da Sua vida.

Percorrido o caminho, encontrámo-nos todos no Centro de Exposições, onde tivemos a Eucaristia presidida pelo nosso Bispo, Cardeal D. António Marto. Cada grupo entregou junto do altar, no momento do ofertório, a pedra que tinha preparado, atempadamente na catequese. O nosso Bispo desafiou-nos a irmos sempre ao encontro de Jesus, mesmos que tenhamos muitas dúvidas, medos, vergonhas e incertezas.

Depois de almoço recomeçaram as actividades, agora outras diferentes das de manhã. Os postos de manhã tinham sido assegurados apenas pelos catequistas das várias paróquias da nossa vigararia. No posto da “curva das dúvidas e questões” lá estavam 5 catequistas da nossa paróquia.

Agora, de tarde fomos encontrando outras pessoas, muitos jovens e adultos, que nos iam dando o seu testemunho, sobre as diversas funções que desempenhavam na Vida da Igreja.

Ouvimos testemunhos de quem fazia parte das três grandes áreas da Vida da Igreja: “Serviços e Caridade”, “Anúncio e Testemunho” e “Celebração da Fé”. Vimos e ouvimos muita gente que, sem estar diretamente ligada à catequese, está envolvida e a participar, no seu dia a dia, na missão da Igreja: Escuteiros do CNE, Convívios Fraternos, Pastoral Juvenil, Pastoral Familiar, Missionários do grupo Ondjoyetu, Acólitos, Leitores, Ministros Extraordinários da Comunhão, MCE, Cáritas Jovem, Conferência de São Vicente De Paulo, Monitores de colónias de férias da Cáritas, Jovens Sem Fronteiras.

Chegou o tempo da despedida. Reunimo-nos todos novamente no Centro de Exposições. O Pedro, aquele adolescente que inicialmente nos tinha enviado uma carta a convidar para participar neste ENDIAD, agradeceu agora o facto de termos aceite o convite e termos participado. Ainda assistimos ao concerto do Grupo Alpha. No final, cada grupo foi novamente junto do altar buscar uma pedra de outro grupo para trazermos para a nossa paróquia. Todos fomos desafiados a contar a nossa aventura deste dia.

Viemos todos de coração cheio, foi um dia muito fixe! O Pedro tinha razão de que íamos gostar. Venham mais desafios destes!

Flávia Gonçalves
Flávia Gonçalves
Paróquia da Freixianda.
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A REDE mais recente

Carregue na capa para ver edição em formato .pdf

Receba a Revista REDE gratuitamente todas as semanas no seu email.

Leia também...

Freixianda celebrou a festa da Padroeira

A festa continuou no salão das festas e no adro. Houve movimento no restaurante e bar. As rifas da quermesse iam saindo. A música convidou alguns à dança. Sobretudo reinou o convívio e a dimensão festiva.