Notícias

46 - Padre José Fernandes de Almeida – o desbravador

Categoria: Notícias
Criado em 31-10-2018

Oureense de nascimento, o Padre José Fernandes de Almeida fez praticamente toda a sua vida em Leiria, exercendo o múnus de sacerdote, mas sobretudo de escritor e investigador, revelando-se um cidadão interessado na história da diocese e das suas instituições, publicando inúmeros estudos em diversos periódicos e vários livros, desbravando algumas áreas em que mais ninguém tocou, designadamente a história do Seminário. É, por isso, um dos efectivos construtores da Diocese.

 

O Padre José Fernandes de Almeida nasceu em 13 de Janeiro de 1907, no lugar de Óbidos, freguesia do Olival (Vila Nova de Ourém). Foram seus pais Manuel Ribeiro Fernandes e Maria de Jesus Almeida.

Entrou no Seminário de Leiria em Outubro de 1920. Em 1926, matriculou-se na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, onde se licenciou em Teologia, tirando também o bacharelato em Filosofia e Direito Canónico. Foi ordenado, em Roma, no dia 20 de Dezembro de 1930.

Regressando a Portugal, foi nomeado, em Outubro de 1931, prefeito e professor do Seminário de Leiria, e, em Agosto de 1933, nomeado pároco das duas freguesias de Aljubarrota, de que foi dispensado, em 1936, por motivos de saúde.

Em 1938, foi nomeado director do Asilo Distrital de Leiria, da Junta de Província da Beira Litoral, cargo que, em 1942, entregou aos reverendos Padres Franciscanos, passando a ser capelão do Mosteiro da Visitação da Faniqueira (Batalha), exercendo, ao mesmo tempo, o cargo de administrador da Quinta da Cerca, na Batalha (propriedade murada situada a norte do Mosteiro da Batalha que pertenceu ao Seminário Diocesano de Leiria até 1988).

Em 1946, foi nomeado pároco da Boa Vista, paróquia recentemente criada, de que foi dispensado em 23 de Maio de 1953, indo então viver para Leiria e, mais tarde, para uma casa sua em S. Romão (Pousos).

Especialmente nos últimos anos da sua vida, o Padre José Fernandes de Almeida foi, em particular, um grande investigador da história eclesiástica e profana de Leiria e da Diocese, que desbravou de forma aturada e empenhada. Publicou diversos livros e folhetos, inclusive de poesia, e escreveu nos jornais locais, nomeadamente em “A Voz do Domingo” e em “O Mensageiro”, muitas vezes com o pseudónimo Fernão Pires, ou simplesmente F. P., iniciais desse pseudónimo. O jornal diocesano “A Voz do Domingo” mereceu-lhe sempre grande carinho e preferência, desde o primeiro número, até ao fim da sua vida.

Mas também é muito relevante a série de artigos que escreveu no jornal “O Mensageiro” sob o título “O Cabido e as Dignidades da Sé Catedral de Leiria”, desde o n.º 3477, de 30-08-1984, até pelo menos ao n.º 3724, de 25-05-1989, um trabalho que devia ser editado em livro, porque anda perdido num montão de jornais só disponíveis em arquivo.

Jornalista, conferencista, escritor e até poeta, com inúmeras intervenções na imprensa diária e em periódicos da província e do estrangeiro, colaborou também no Dicionário de História da Igreja em Portugal (direcção de António Alberto Banha de Andrade, Editorial Resistência, Lisboa, 1980) e na Miscelânea Histórica de Portugal (destaque, no vol. IV, 1984, para “A Diocese de Leiria e os Egressos dos Conventos e Mosteiros”), quase sempre assinando com as iniciais F.P., do pseudónimo Fernão Pires.

A Diocese de Leiria ficou a dever-lhe inúmeros serviços, desde logo na área pastoral, mas sobretudo os contributos que deu para o conhecimento da história da Diocese.

Faleceu na manhã do dia 29 de Julho de 1992, na sua casa, em S. Romão, Leiria. Contava 85 anos de idade. O funeral realizou-se, na tarde do dia 30, saindo o féretro da capelinha da sua casa para a igreja paroquial do Olival, onde se celebraram as exéquias com uma presença expressiva do clero da Diocese: presidiu o Bispo D. Alberto, ladeado por D. Américo Henriques e mons. Henrique Fonseca, então vigário-geral da Diocese. Concelebraram cerca de 60 sacerdotes diocesanos e religiosos. Entre os fiéis presentes, contava-se uma representação da paróquia da Boa Vista.

2018-10-30 100 461

São as seguintes as suas principais obras em livro:

– Sentimentos religiosos de Garrett, 1934

– Noções elementares de história das literaturas Grega e Latina, 1938

– A biblioteca particular de D. Manuel deAguiar, s/d

– O Padre António dos Santos Rino e outras figuras ilustres do Clero Batalhense, 1979.

– Bucólica dos três amores (conto), 1980.

– Pequenina História de Nossa Senhora do Testinho do Estreito, Vila Nova de Ourém, 1981

– No centenário da Filarmónica dos Marrazes, 1981

– A Colegiada de Ourém – sua vida e morte, 1982

– Vitorino da Silva Araújo: um leiriense ilustre, 1983.

– A freguesia do Juncal e o seu clero, 1984

– Diocese de Leiria – Subsídios para a sua história, 1986.

– Miosótis: Pensamentos e Palavras, 1987.

– O Seminário de Leiria – Achegas para a sua história, 1987.

– Ourém, em co-autoria, 1989.

– Martim Anes Bocifal, 1989.

Elementos recolhidos por Carlos Fernandes


Ver mais artigos da rubrica “100 anos - Figuras & Factos

Partilhar:





Contactos

 

Serviços Gerais da Diocese


R. Joaquim Ribeiro Carvalho, 2 
2410–116 Leiria

Tel.: 244 845 030
Fax: 300 013 266

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Siga-nos

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Liturgia Diária



© Diocese Leiria-Fátima, Todos os direitos reservados

© Diocese Leiria-Fátima, Todos os direitos reservados